Em 1967, uma música cativante dos Beatles, “Tudo que você precisa é amor”, tornou-se o hino do verão do amor. A cultura Flower Power adotou a música e sua mensagem: “o amor é tudo que você precisa”. Se alguém tivesse perguntado ao psicólogo humanista Carl Rogers na Terapia de Casal Nova Iguaçu o que a música significava, ele poderia ter dito: “Consideração positiva incondicional!”

Embora não tenha saído da língua da mesma maneira, Rogers introduziu o conceito quase uma década antes da música dos Beatles, mas tem a mesma mensagem básica: empatia invoca mudança.

Rogers enfatizou a importância da consideração positiva incondicional no desenvolvimento saudável da personalidade, e seu trabalho tem implicações além do laboratório, da Terapia de Casal RJ ou do consultório do terapeuta. Tratar a nós mesmos e aos outros com consideração positiva incondicional pode melhorar nossas vidas de várias maneiras.

Neste artigo, abordaremos:

O que é uma consideração positiva incondicional?

Qual é um exemplo de consideração positiva incondicional?

Como a consideração positiva incondicional facilita a auto-atualização?

Como a consideração positiva incondicional gera autoconfiança?

Como a consideração positiva incondicional reforça a motivação?

Como a consideração positiva incondicional promove a autenticidade?

O que é uma consideração positiva incondicional?

Terapia de Casal Nova Iguaçu

A consideração positiva incondicional é definida pelos psicólogos humanistas como significando expressar empatia, apoio e aceitação a alguém, independentemente do que eles dizem ou fazem.

Ao contrário de outros profissionais de sua época, que ofereciam terapias como o behaviorismo, que eram rápidos em confrontar como as más escolhas nos prejudicam, psicólogos como Rogers começaram por validar os sentimentos de seus clientes, reter o julgamento e oferecer apoio.

Conhecido como “terapia centrada no cliente”, esse tratamento enfatiza o poder de cura da conexão humana. Embora a teoria de Roger tenha mudado o cenário da psicologia, ela não beneficiou apenas os que procuram terapia.

Segundo Rogers, comportamentos problemáticos como comer demais, beber demais e procrastinar não são alterados com confronto, julgamento ou punição; eles são remediados com compaixão, compreensão e aceitação.

Na sua opinião, as pessoas estão ligadas à auto-atualização ou à necessidade de realizar nosso potencial. No entanto, experiências dolorosas como ser intimidado, envergonhado ou julgado impedem nosso crescimento.

A consideração positiva incondicional restaura a esperança, mostrando-nos que somos amados e aceitos. Das lentes de Roger, quando as pessoas se sentem seguras, a honestidade segue. E ser honesto conosco e com os outros é crucial para a mudança.

Qual é um exemplo de consideração positiva incondicional?

Consideração positiva incondicional significa oferecer compaixão às pessoas, mesmo que tenham feito algo errado. Um terapeuta que pratica consideração positiva incondicional responderia com compaixão a uma pessoa em tratamento que pode ter apostado suas economias, mentido no trabalho ou maltratado um amigo. Ele está se esforçando para responder com compreensão e não com desprezo pelo indivíduo.

Terapia de Casal Nova Iguaçu

No entanto, consideração positiva incondicional não significa aceitação incondicional. Devemos tomar cuidado para não permitir que outras pessoas continuem a agir de maneira prejudicial por causa de nosso desejo de não magoar seus sentimentos. Em vez disso, ter consideração positiva significa tratar as pessoas como seres humanos falíveis, independentemente do que eles façam, mesmo que não gostemos do que eles fizeram.

Enquanto o julgamento e a vergonha provocam defensividade, a aceitação promove a segurança, que convida à honestidade e à auto-exploração. Está oferecendo o tipo de graça que desejamos que outros nos oferecessem quando falhamos.

Digamos que um amigo pediu emprestado seu carro novo e o trouxe de volta com um amassado. Em vez de perguntar: “O que aconteceu na terra?” um terapeuta centrado na pessoa aconselha você a dizer: “Vejo você se sentir mal. Você quer me contar o que aconteceu?

Em nossa vida cotidiana, as perguntas podem nos ajudar a coletar informações, mas em certas situações tensas, as consultas podem parecer acusatórias e julgadoras.

Às vezes é difícil reter nossas reações, especialmente quando o comportamento nos pega desprevenidos. Por exemplo, se um colega de trabalho derramar café no seu laptop, você pode ficar tentado a gritar: “Por que você não pode tomar cuidado?” Mas, nesse caso, estender a consideração positiva incondicional ao dizer: “Todos cometemos erros” pode ser uma escolha melhor de palavras.

Os novos pais sabem que pode ser estressante deixar o bebê com uma babá pela primeira vez. Quando uma mãe ansiosa diz: “Estou com medo de deixar meu bebê com um estranho”, o terapeuta centrado na pessoa não diz: “Que evidência você tem de que seu filho não é seguro?” Em vez disso, eles respondem: “Você ama tanto seu filho, posso ver por que você está preocupado”. Na visão de Roger, fornecer empatia e aceitação permite que as pessoas se abram e compartilhem mais.

Os pesquisadores descobriram que a consideração positiva incondicional pode beneficiar a nós e às pessoas em nossas vidas de várias maneiras.

Um estudo de 2018 descobriu que os atletas que recebiam consideração positiva incondicional de seus treinadores estavam mais motivados a praticar esportes e se sentiam mais confiantes. Quando surgiram as adversidades, elas subiram para a ocasião e assumiram novos desafios. Provavelmente, a consideração positiva despertou seu entusiasmo e amor pelo jogo.

Pelo contrário, os atletas criticados eram menos seguros, menos motivados e mais propensos a se esgotar. Pesquisadores em educação também sugerem que os alunos que recebem uma consideração positiva incondicional de seus professores estão mais motivados a ter sucesso.

A conclusão: a consideração positiva incondicional pode desencadear o auto-aperfeiçoamento, o que pode nos ajudar a levar vidas mais significativas. Os cientistas sociais também afirmam que o uso dessa técnica pode nos manter emocionalmente aptos de várias maneiras.

Como a consideração positiva incondicional facilita a auto-atualização?

De acordo com Rogers, a consideração positiva incondicional nos ajuda a atingir nosso maior potencial, também conhecido como “auto-atualização”. Enquanto o psicólogo Abraham Maslow acreditava que poucas pessoas são auto-atualizadas, Rogers viu a luta pelo crescimento como parte da condição humana.

Os relacionamentos que incentivam a abertura, a criatividade e a honestidade promovem a auto-atualização, deixando-nos saber que não há problema em pensar, sentir e se comportar da maneira que fazemos. Estudos mostram que a auto-atualização pode nos ajudar a resolver problemas de forma criativa, abraçar a mudança e cultivar relacionamentos profundos e significativos. A auto-realização também acende nossa “centelha interior”, que nos ajuda a perseguir nossos objetivos, mesmo quando obstáculos estão no nosso caminho.

Como a consideração positiva incondicional gera autoconfiança?

Em 2009, Susan Boyle fez o teste para o Got Talent da Grã-Bretanha. A cantora de 46 anos dificilmente se parecia com a sua típica estrela pop com seus cabelos encaracolados indomados e dentes tortos. Antes de Boyle cantar, a platéia zombou de sua aparência. Mas quando ela cantou “Sonhei um Sonho” de Les Misérables, os juízes ficaram surpresos.

Quando os repórteres perguntaram a Boyle sobre as críticas iniciais do público, ela respondeu: “Eu sei o que eles estavam pensando, mas por que isso importa desde que eu possa cantar? Não é um concurso de beleza. ” Em outras palavras, Boyle não aceitou suas críticas.

No final, Boyle não venceu a competição, mas assinou com a Columbia Records. Aos 47 anos, ela transformou seu hobby em profissão. Nada disso teria acontecido se a rejeição tivesse arruinado sua confiança.

Palavras e julgamento aguçados podem diminuir nossa confiança, mas a consideração positiva incondicional, tanto para nós quanto para os outros, pode trazê-la de volta. Após a audição, uma das cantoras favoritas de Boyle, Elaine Paige, a chamou de modelo e elogiou Boyle por ter perseguido seu sonho. ‘

Como a consideração positiva incondicional reforça a motivação?

Embora Rogers considerasse a consideração positiva incondicional necessária para uma terapia bem-sucedida, a pesquisa sugere que é benéfico no local de trabalho, além de aumentar a motivação.

Um estudo de 2018, publicado no British Journal of Management, descobriu que os funcionários que recebiam consideração positiva incondicional de seus colegas se sentiam valorizados, o que aumentava sua motivação, desempenho e satisfação no trabalho. Esses relacionamentos colaborativos também cultivavam um senso de inclusão, o que aumentava o moral do local de trabalho.

Quando se trata de estabelecer metas, a mentalidade é importante. Digamos que pretendemos nos exercitar mais, menos distraídos ou irmos para a cama a tempo. No início, se nos chamamos de “preguiçosos” ou “sem autocontrole”, nossa narrativa interna pode evocar crenças falsas que influenciam nossos comportamentos, reduzindo nossa motivação para mudar.

Quando nos esforçamos para fazer mudanças ou atingir novos objetivos, a pesquisa sugere que a auto-estima positiva pode desencadear uma motivação intrínseca, que é o “desejo de fazer algo por si só”. Assumir desafios que nos interessam pode nos tornar mais motivados e mais determinados.

Como a consideração positiva incondicional promove a autenticidade?

Brené Brown, assistente social e pesquisadora de vergonha, diz que a autenticidade é “a prática diária de deixar de lado quem pensamos que devemos ser e abraçar quem somos”. Rogers disse que as pessoas autênticas se sentem confortáveis ​​com a vulnerabilidade e abordam outras com abertura e curiosidade. Em suma, a autenticidade cria intimidade.

Porém, freqüentemente, nosso eu autêntico é desligado pela vergonha, julgamento e crítica. Talvez alguém nos tenha dito uma vez que éramos “muito sensíveis”, “não falamos o suficiente” ou “muito nerd”. Ou talvez fôssemos provocados por não seguir a multidão de alguma maneira. Essas mensagens indicam que não há problema em ser quem queremos ser.

Como resultado, somos forçados a escolher entre viver nossos valores e nos sentir rejeitados (geralmente por aqueles que mais precisamos e mais amamos) ou mudar nossos pontos de vista para se encaixar. Freqüentemente, preferimos ignorar algum aspecto de nós mesmos do que nos sentir deixados Fora.

Quando fazemos escolhas que não estão alinhadas com nossos valores, geralmente olhamos para trás com pesar. Por exemplo, podemos renunciar a dar um discurso ou solicitar uma promoção porque temos medo de vergonha ou não conseguimos atender às expectativas no trabalho. Mas recusar oportunidades que possam nos ajudar a ser quem queremos ser, porque temos medo da rejeição social, atrapalha nosso crescimento e prejudica nossa autopercepção.

Insegurança e insegurança podem atrapalhar a motivação, mas a consideração positiva incondicional pode desmontar a vergonha, o que nos ajuda a permanecer fiéis a nós mesmos, mesmo quando os outros duvidam de nós.

Mudança de comportamento é mudança de identidade.

Se quisermos alterar a maneira como agimos, precisamos mudar a maneira como nos vemos. Estender-nos para uma consideração positiva incondicional e auto-compaixão nos convida a viver nossos valores sem medo.

Pode ser fácil associar consideração positiva incondicional à psicoterapia “sentir-se bem”, mas, como mostram os estudos, a prática pode reforçar a auto-motivação, a confiança e promover a autenticidade.

Talvez desejemos correr uma maratona, escrever uma proposta de livro ou desenvolver nossa capacidade de ser indistratável; qualquer que seja a aspiração, compaixão e aceitação, pode nos levar até lá. É tudo o que realmente precisamos.